"Inapelavelmente, há que se valorizar a palavra, na sua mais elementar forma, como na essência da perfeição do seu significado. Revigorá-la é um imperativo. Com o júbilo da coragem e do amor.
A palavra emerge. Viva. Desentranhada dos pensares de quem faz poesia. (Cavalcanti Barros)

"A poesia é a música da alma e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais". (Voltaire)

"A poesia está mais próxima da verdade vital do que a história". (Platão)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Caminhos de terra

José Aberto Costa

(Poemeto escrito olhando a foto, postada por Maria Helena Veiga
no Facebook - 04/12/2016).


Saudade dos caminhos
de terra da minha terra.
De andar descalço,
sem medo de nada,
pegando sementes
jogando-as bem longe
para um dia nascerem de novo.
Cheirando o ar puro
que não se encontra mais.
Saudades dos meus caminhos.
Saudade do meu caminhar.


Copyright © 2016 by José Aberto Costa
All rights reserved.

Um comentário:

dydha lyra Lyra disse...

Tb tenho essa saudade meu poeta,!!!