"Inapelavelmente, há que se valorizar a palavra, na sua mais elementar forma, como na essência da perfeição do seu significado. Revigorá-la é um imperativo. Com o júbilo da coragem e do amor.
A palavra emerge. Viva. Desentranhada dos pensares de quem faz poesia. (Cavalcanti Barros)

"A poesia é a música da alma e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais". (Voltaire)

"A poesia está mais próxima da verdade vital do que a história". (Platão)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Marcas


Meu corpo tem
As marcas do tempo...
Minha alma quer tempo,
Para deixar marcas de amor
Impressas nos corações
Das pessoas que me rodeiam,
E no livro da vida...

Meu corpo sente o peso dos anos
E está cansado de esperar
Um amor que não quer chegar...
Minha alma não sente os anos passarem
E nunca se cansa de esperar;
De querer, desrespeitosamente,
Desafiar o tempo e amar, amar, amar...!
Copyright © 2009 by Valderez de Barros
All rights reserved.

2 comentários:

Sandredy Marzo disse...

nossa...lindo!!!!

Parabéns amiga. Me fez alçar vôo, só de olhar para o seu poema!

e é assim...sempre
beijos mil
Sandra

Arlene disse...

Valderez, parabéns pelo belo poema. Quanta beleza! Emocionei-me com os versos inspirados ditados por seu coração sensível. Você está se revelando uma grande poetisa. Um beijo. Arlene.