"Inapelavelmente, há que se valorizar a palavra, na sua mais elementar forma, como na essência da perfeição do seu significado. Revigorá-la é um imperativo. Com o júbilo da coragem e do amor.
A palavra emerge. Viva. Desentranhada dos pensares de quem faz poesia. (Cavalcanti Barros)

"A poesia é a música da alma e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais". (Voltaire)

"A poesia está mais próxima da verdade vital do que a história". (Platão)

sábado, 1 de agosto de 2009

Fragmentos


Fui o retrato de uma mulher
Que muito amou e que
Se perdeu do seu amado
Por um caminho tortuoso,
Que se abriu em paralelas,
Pra nunca mais se encontrarem...
.

Tudo passou...porém, às vezes,
Ainda me perco a recordar
De tantos beijos, tantos abraços,
De tantas noites de amor
Que se perderam no tempo,
Mas, estão nas minhas lembranças...
.

A vida foi nos afastando;
Só o pranto ficou...um pranto doído,
Escondido no âmago de minh'alma,
Que se fechou, se quebrou
E se camuflou no sorriso mascarado
Que se abria, desbotado, no meu rosto...
.

Fui o retrato
De tantas outras mulheres
Que se doaram, que se doam
A um amor fragmentado,
Estilhaçado em mil pedaços,
Mas, mesmo assim...um grande amor.
Copyright © 2009 By Valderez de Barros
All rights reserved.

Um comentário:

Sandredy Marzo disse...

Como sempre, teus versos me encantam. Parabéns amiga Valderez.

beijos saudosos

Sandra